Serendipity

Depois de muito tempo, estou de volta!!! Ahhhh como é bom voltar a fazer as coisas que se ama, que te dão prazer… Foram meses sem escrever, onde perdi meu eixo, minha identidade!! Mas agora… estou mais inspirada que nunca…

Todos os anos, no ano novo, fazemos muitos pedidos e prometemos diversas coisas! Muitas delas acabamos não cumprindo. Esse é o círculo vicioso da maioria das pessoas, a qual eu me englobo! Mas esse ano resolvi fazer diferente… vou realizar tudo que planejei!!! Algumas coisas já foram realizadas, outras já estão encaminhadas… e por incrível que pareça, outras surgiram do nada!!

Há uma semana atrás, minha vida nada monótona começou a mudar novamente!! Iniciei um curso de uma pessoa que admiro demais chamada Bel Pesce… E durante esse curso, o qual eu recomendo para todos fazerem (pois é um tapa na cara), eu aprendi a palavra SERENDIPITY.

Nunca ouvi essa palavra na minha vida, mas fiquei super encantada. E me deparei pensando em quantas vezes não aconteceram “SERENDIPTIES”em minha vida. Vamos a definição: “quando algo que aconteceu com você ao acaso é melhor do que algo que você planejou por muito tempo“. Ou seja, é o acaso que acontece sem planejamento!

Analisando minha vida, posso dizer que as melhores coisas que me aconteceram foram “ao acaso”… tanto no lado pessoal quanto profissional. Não que não tenha sido um pouco planejado, mas o inesperado foi surpreendente.

A viagem da minha vida foi uma road trip que fiz na Califórnia. Planejei quase tudo antes. Comprei as passagens de avião, programei em quais cidades iria parar, onde passaria meu aniversário (foi uma viagem de comemoração), etc e tal. Chegando em São Francisco, me deparei com o primeiro obstáculo… o aluguel do carro dobrava de preço senão entregasse na mesma cidade. OMG! Tive que pensar em um plano B lá na hora e decidi fazer parte da viagem de trem/ônibus. Com isso mudei meu roteiro também, e acabei conhecendo pessoas incríveis, as quais não conheceria! Vivi uma das experiências mais loucas da minha vida em uma cidade chamada Lake Tahoe… onde poderia ser devorada por um Urso, dormi na casa de uma estranha e tive a prova da bondade do ser humano! Tudo isso ao acaso…

O acaso nem sempre é um acaso! Acredito que pessoas boas, com energia positiva, que procuram fazer o bem e não desejam o mal, sempre tem uma ajudinha boa! Tenho grandes amigos que conheci ao acaso e hoje são parte essencial de minha vida.

Podemos chamar o acaso de destino? Acredito sim, que tudo tem uma razão de ser, a qual nunca saberemos… mas se algo aconteceu, se alguém passou (e ficou) em sua vida, se uma situação inesperada aconteceu… teve uma razão.

Portanto, desejo muitos SERENDIPITY a todos!!!!

Ainda se lembra do seu último ELOGIO?

Após algum tempo sem escrever, hoje tive aquela vontade, necessidade de me expressar e relatar aqui valores e questões muito sólidas em minha vida…

Voltando ao mundo corporativo depois de algum tempo, me desacostumei com algumas situações que ainda me chocam, as quais vivi há quase 10 anos atrás, e que ocorrem até hoje. As empresas em um modo geral encaram computadores, papel, canetas e… pessoas como recursos. Até que ponto isso está certo ou errado… quem sou eu para julgar! O que preciso compartilhar hoje e sempre é a insensibilidade das “pessoas” em perceberem estar lidando com “pessoas”, com sentimentos… e não com máquinas.

Infelizmente, pessoas tem necessidades! Pessoas ficam doentes! Pessoas tem opinião própria (Graças a Deus)! O que o mercado não consegue, e acredito eu nunca conseguirá, é olhar cada “recurso” de maneira diferente e respeitando o diferente. Pessoa PRECISAM de reconhecimento, precisam receber um “parabéns”, um “ótimo trabalho” ou somente um “muito obrigada”.

Não estou aqui falando para saírmos somente elogiando todo mundo. Sejamos justos… para receber uma valorização necessitamos trabalhar pra isso, se esforçar e dar o máximo de si! Mas não só isso, precisamos estar realizados e satisfeito com o trabalho que realizamos, com as pessoas que passamos a maior parte de nosso tempo! Precisamos fazer tudo na vida com muito amor e muita MOTIVAÇÃO!

Críticas construtivas são comuns de recebermos… isso não é novidade pra ninguém! Mas, e um reconhecimento? Um elogio? Um “bom trabalho!” ? Ou “continue assim!”? Um “está no caminho certo!”? Qual o problema de reconhecermos um trabalho bem feito, um gesto bem recebido, ou até mesmo um abraço apertado.

Escutei recentemente uma frase que me chocou… “eu nunca recebi um elogio pois eu não faço mais que minha obrigação de fazer o trabalho bem feito”. Como assim? Fazer um trabalho bem feito, até ai concordo que precisamos sempre buscar fazer melhor. Mas o que custava reconhecer o esforço do outro? Destacar os pontos positivos! Ninguém é perfeito! Quem nunca errou ou continua errando…

Agora, avalie sua vida….

Qual a última vez que foi reconhecido?
Quando recebeu seu último elogio?
Qual última vez fez um elogio?

#VamosPraticar #ElogieMais #MotiveMais

Depressão em ser Feliz

O que é felicidade pra você?  Para muitos encontrar o grande amor; para outros estudar e obter o máximo de conhecimento possível; para outros curtir a vida até o limite; e para outros, um mistério.

Observando algumas pessoas próximas tenho me questionado o sentido da palavra felicidade. Felicidade em ter, ser ou estar… tudo depende do que é, sente ou quer para sua vida. Pode se ter como um objetivo de vida ou conquista-la meio sem querer, por caminhos alternativos, o importante é saber identificá-la quando estiver de frente a ela.

Algumas vezes não estamos preparados para viver tudo o que nos aguarda e fugimos. Percorremos caminhos que, conscientemente, não nos levará a nada. Mas por que isso? Por que fugir, consciente ou inconscientemente da felicidade? Medo de encontra-la, e perder o sentido de tudo? Ou medo de ser feliz? 

Como seria a vida de uma pessoa sendo somente feliz? Seria tediosa? Quais seriam os desafios de viver eternamente na felicidade plena? Ou viver plenamente na infelicidade? Depressão? A palavra “depressão em ser feliz” faz algum sentido… Ter tudo o que se quer, a todo tempo… Pensando assim podemos explicar porque algumas pessoas, que conquistaram tudo na vida (material), sentem-se vazias…. Quais os desafios de se ter ou ser tudo que quer? Manter-se …. ??

Felicidade é um estado de espírito, que pode ser alterado a qualquer instante, por influencias internas ou externas! Ser feliz depende somente de nós mesmos… essa afirmação procede? Se sua resposta for sim, sinta-se privilegiado por conseguir mudar seu destino, humor… se sua resposta for não, tome cuidado pra não deixar que sua vida seja tão vulnerável a acontecimentos diversos!!

Já escutei muitas vezes, de pessoas distintas, que é impossível ser feliz sozinha. Que precisamos sim de pessoas ao nosso redor. Eu não concordo! Posso sim ser feliz sozinha, quieta. Agora viver solitária, sem família, sem amigos, sem objetivo de vida…. e principalmente sem amor, isso sim é impossível. Você pode estar acompanhada e sozinha, ou sozinha e acompanhada…. isso só depende de você, de como você lida com sua vida. Eu, particularmente, adoro meus momentos de solidão e, nunca acho, mesmo nesses momentos, que sou sozinha somente porque estou sozinha. 

Encontrar momentos felizes dentro de situações tristes; tirar lições de seus piores momentos; praticar ser sempre positivo, mesmo nos piores momentos; são pequenas grandes atitudes que podemos ter para encontrar um pouco de felicidade.

Parafraseando nosso grande poeta Gonzaguinha, deixo aqui minha reflexão…. “Viver e não ter a vergonha de ser feliz” independentemente do que é ser feliz pra você! 

 

 

Cair… Levantar… Seguir em frente

 Imagem

 

Há alguns anos comecei a me questionar sobre atitudes e tabus que nossa sociedade raramente discute e que nos deixa refém quando nos deparamos com certas situações. Uma dessas questões é sobre a perda, ou o “não”. Somos criados para saber lidar somente com respostas positivas, sucesso na vida! Mas nunca paramos pra pensar, porque não nos acostumarmos a receber os “nãos” que a vida, certeza, irá nos dizer.

Como seria mais fácil se soubéssemos lidar com o fracasso e a morte mais levemente. Somos egoístas por achar que nada um dia vai acabar ou que sempre seremos pessoas felizes e com sucesso. Mas como lidar com isso quando nos deparamos com esse tipo de situação? 

Cada pessoa reage de uma maneira, algumas entram em depressão, outras chegam até a tirar suas vidas. Enfrentar esse tipo de situação é o grande desafio da vida. Ser feliz e ter sucesso, sempre, não são os reais desafios. Cair, levantar-se e seguir em frente é o verdadeiro desafio da vida. 

A vida é cheia de altos e baixos. Esse super clichê que nos é “esfregado na cara” diversas vezes em nossas vidas, nos dá mais motivos para tentar entender a si mesmo e pensar em como lidar com isso. Imaginar como seria nossa reação frente a dificuldade é um caminho! Mas nunca se sabe como será mesmo até que aconteça, até que esteja no meio do “problema” e precise resolve-lo.

A mensagem que quero deixar aqui é: vamos trabalhar o conceito em nossas mentes que perdemos muito mais que ganhamos e que precisamos sim saber como lidar com isso tudo. Não é uma tarefa fácil. Eu não faço a mínima idéia como começar isso…. mas ter a consciência da necessidade já é o primeiro passo. 

Algumas ações podem ajudar a lidar com as rasteiras da vida:

1) Perdoe aquela pessoa que te fez algo ruim, isso vai acalmar seu coração.

2) Seja positivo sempre! 

3) Observe o rumo de sua vida, algumas vezes recebemos sinais claros do que irá acontecer.

4) Procure respeitar o outro para ser respeitado.

E por último lembre-se, que o amor é a base de tudo nessa vida. Tanto para os momentos felizes quanto para os momentos tristes, pois é ele que nos conforta, nos da esperança e nos faz acreditar que tudo vai dar certo no final. Se ainda não deu certo, é porque não chegou ao fim! 🙂

O que eu quero…. ser feliz!

Na infância, quando um adulto nos questiona  “O que vai ser quando crescer?” muitas idéias nos vem a cabeça… astronauta, jogador de futebol, atriz, modelo, médico e por ai vai. Não ter a obrigação de saber quem eu sou e o que vou fazer, ou mais específico, no que vou trabalhar é uma situação normal. É levado com graça, achamos “bonitinho” a criatividade, a imaginação da criança.

Alguns desses desejos podem permanecer (coisa que eu invejo!), mas na maioria das vezes, a opinião é alterada diversas e diversas vezes. Alguns indícios escolares podem ajudá-las, como gostar mais de matemática, ou português, ou história…. direciona, pelo menos, a área de atuação: humanas ou exatas.

Eis então que chega a fase, a tão temida hora de escolher. São tantas opções, tantas coisas que gosto ou que não gosto de fazer. Profissões mil, que tem aumentando cada dia mais. Mas como decidir? Como um adolescente na faixa de 17 ~ 18 anos pode saber o que quer fazer para a vida toda? Eles só querem curtir a vida, sair, viajar, namorar….. não tomar uma decisão tão séria e importante.

Tomada a decisão, muitas vezes sem certeza alguma, inicia-se a faculdade. O lugar onde vai encontrar pessoas tão perdidas quanto você, e que querem as mesmas coisas: just fun! Muitos desistem no meio do caminho, descobrem que não era bem aquilo que queria, e acertadamente mudam! Outros se encontram e seguem aquela área para o resto de suas vidas…. Mas o que tenho mais encontrado, são pessoas que terminam os estudos, e quando iniciam suas vidas profissionais, descobrem que não é bem isso que queriam.

Começam suas carreiras, apostam suas ficham, se dedicam e falham. Trocam de emprego, fazendo novas tentativas, se esforçam e falham novamente. Pode ser que entre uma ou outra transição encontre algo relevante, mas nada que os faça sentir o prazer de trabalhar. E começam os questionamentos: E agora? O que vou fazer da vida? Vou jogar meus estudos no lixo? Devo fazer uma nova faculdade? Não sei do que eu gosto! 

Pronto! Esta formada a confusão. 

Nessa altura da vida, já quase “adulto”, não nos é permitido sonhar como quando éramos crianças. Agora é a hora de escolher! Não pode ter dúvida. Não pode ficar querendo trocar de trabalho ou de área nessa altura da vida! E senão der certo, o que vai fazer? E se errar novamente? Vou ter chance de mudar novamente? O que as pessoas vão achar? Vou ter o apoio de minha família? 

Não está feliz? MUDE !!!!!!!

Não é porque é um adolescente ou um adulto que não pode mudar o rumo de sua vida e ir atras do que realmente ama fazer! Senão sabe o que fazer ainda, faça cursos diversificados, em áreas que não combinam uma com a outra…. tente buscar algo que te realize e te faça feliz! Não fiquei preso a convenções… você precisa e deve trabalhar com o que ama, com tesão! Não precisamos saber o tempo todo o que fazer e quando fazer! Errar faz parte do aprendizado!

Em muitos casos, não temos o apoio para essa mudança. Pessoas próximas, família, amigos…. sempre tem alguém que não o entende e acha que é uma loucura! Não deixe que a opinião dos outros tire suas certezas! A certeza que não está feliz e precisa mudar; que precisa se arriscar em algo novo; precisa amar o que faz para o resto da vida. Somente você sabe o que sente e o que quer! 

Independente da idade, do momento da sua vida, de todos acharem uma loucura…. faça o que te faz feliz! Ainda não sabe o que é? Continue procurando! O que não pode é fazer algo que não o satisfaça, te deixa infeliz, somente porque foi convencionado dessa maneira. 

Acredite em si mesmo! Tenha certeza da sua felicidade! Não tenha medo de mudar! Não será fácil, terá muitos obstáculos… muitas vezes se questionará se está tomando a decisão certa….. Não desanime! Sua hora vai chegar! Vai ser feliz e se sentir realizado! Tenha força para superar tudo e todos em busca da sua realização.

 Desistir…. jamais!!!! 🙂

 

Manual da Relação Saudável

Conversando com um amigo sobre comportamento humano, mais especificamente sobre as mulheres, fiquei chocada ao constatar como somos chatas! Isso mesmo, como conseguimos ser insuportáveis quando queremos.

Pessoalmente, não sei quem inverteu os papéis na sociedade atual. Por muitos anos o papel do homem e da mulher eram muito bem definidos. Homens conquistavam e mulheres aceitavam ou não serem cortejadas. Isso funcionou muito bem por milhares de anos, até que – penso eu – com a revolução feminista, vieram os direitos iguais para todas as situações, incluindo seus papéis.

Nos tornamos mais decididas, determinadas e com garra para lutar pelo acreditamos e queremos. O problema nisso tudo – ao meu ver – que as atitudes antes tomadas pelos homens hoje são desesperadamente, sem alguma receita de como se fazer, realizadas pelas mulheres. 

Coletando informações diversas, elaborei um Manual para se ter uma Relação Saudável (isso serve tanto para homens quanto para mulheres): 

1) Respeite a individualidade das pessoas (é essencial cada pessoa se sentir livre para fazer o que deseja, sem ter nenhum tipo de pressão)

2) Comunicação clara e objetiva (deixar claro o que gosta ou não já é meio caminho para evitar brigas desnecessárias)

3) Amar a si próprio (senão consegue se amar, se respeitar, como deseja que outra pessoa faça isso)

4) Confiança (é a base para qualquer tipo de relacionamento)

Ou seja, não precisamos ficar ligando 500 vezes por dia pra pessoa, pedindo satisfação de o que está fazendo? de onde está? está com quem? Ninguém suporta esse tipo de cobrança! 

Confie, respeite, valorize, se ame… e tudo voltará pra você em dobro! Pode acreditar 🙂